Depois de me dedicar durante dez anos à indústria têxtil de moda como especialista em pesquisa e desenvolvimento de produto e cor, percebi a vida me convidando a trilhar outros caminhos. Era tempo de mudança. Fazer com as mãos, trabalhar em silêncio, criar objetos, e foi nessa mudança de postura que a cerâmica me encontrou. Me apaixonei e o resultado dessa paixão está aqui.
 
Quando crio uma peça, crio primeiro ela pra mim, intimamente. Uma simbiose entre criatura e criador, sendo assim, eu enquanto criatura prezo pelo despertar, pela clareza de percepção própria e do entorno, pela empatia com tudo que me permeia. Enquanto criadora talvez seja esse o meu lugar de fala com o mundo, conversar e interagir com as formas e força da natureza, preenchendo um vazio que por muitas vezes não nos damos conta de onde vem a falta. Os galhos secos na cidade viram lixo, mas nas peças esses são protagonistas. A natureza é fonte infinita de inspiração, tudo depende da qualidade da sua atenção. Poder reaproximar esses mundos, reinseri-los no contexto tornando-os visíveis e imageticamente aceitáveis dentro dos lares é mágico e extasiante.
 
São peças únicas, feitas com presença, e poder oferece-las ao mundo me inunda de felicidade.

Com amor,
Gabriela